Repubblika ta' Malta

Catedral de S. João

 

 

  • S.Paulo naufragou em Malta no ano de 58 quando se dirigia de Cesarea a Roma e aí permaneceu prisioneiro. É a este apóstolo que se deve a cristianização de Malta.
  • O povo maltês é dos mais antigos povos católicos do mundo sendo a vida nas ilhas fortemente influenciada pelo calendário religioso. Malta é famosa pelas suas animadas festividades de Verão em honra dos santos patronos de cada paróquia. 
  • Há cerca de 365 igrejas nas ilhas. Mesmo as aldeias mais pequenas podem ter uma igreja, cada uma das quais com o seu próprio património de arte sacra.
  • Existem muitas pequenas capelas à beira das estradas, algumas escavadas na rocha outras junto aos penhascos, um verdadeiro convite à contemplação e uma evocação de antigas tradições religiosas. De acordo com a lenda o primeiro lugar a ser usado como capela foi a gruta onde S. Paulo esteve prisioneiro, designada por St Paul’s Grotto
  • Malta tem várias cidades rodeadas de muralhas: Valletta, Mdina (cidade medieval antiga capital de Malta), Furjana (Floriana), Bormla (Cospicua), lsla (Senglea) e Birgu (Vittoriosa). 
  • Malta deve a sua rica herança cultural arquitectónica à ordem dos cavaleiros de S. João (1530-1798). A catedral de S João, em Valleta, é uma verdadeira obra prima arquitectónica e histórica do Barroco. Aqui se encontram pinturas famosas de Mattia Preti e Caravaggio.

 

Símbolos
  • O brasão de armas maltês consiste num escudo mostrando uma representação heráldica da bandeira nacional. Acima do escudo, surge um mural em forma de coroa dourado com a saída do porto e 8 torres (sendo apenas visíveis 5 delas) representando as fortificações de Malta e evidenciando tratar-se de uma cidade-estado; à volta do escudo existe um anel com dois ramos: o da direita é de oliveira  e o da esquerda de Palmeira,. Na base uma faixa branca  e vermelha onde se encontra escrito República de Malta, em maiúsculas e a preto.

 

  • A bandeira de Malta data da altura da independência da Commonwealth em 21 de Setembro de 1964. A cruz, George Cross, foi concedida pelos britânicos em reconhecimento da heróica defesa da ilha durante a segunda guerra mundial.

 

Personalidades
  • Gerolamo Cassar  arquitecto  cujo trabalho mais importante foi a Catedral de S. João, igreja conventual da Ordem dos Cavaleiros de S. João centro da actividade religiosa da ordem e cenário para ocasiões de estado. Foi, por isso, dedicada especial atenção à sua decoração, tendo sido contratados os melhores artistas e escultores europeus para a embelezar.  
  • Dun Karm (1871-1961), sacerdote e poeta nacional de Malta. Para além de poemas a sua obra compreende narrativas de episódios históricos tais como o grande cerco de 1565. Desenvolveu grandes esforços para promover a língua maltesa. É autor do Hino Nacional Maltês (1923).
  • Sir Temi Zammit (1864-1935), arqueólogo, historiador, médico, investigador e escritor. Será para sempre recordado pela sua contribuição na eliminação da Febre de Malta pois descobriu o Microcossus Melitensis no sangue da cabra. Esta doença pode ser contraída pela ingestão de leite ou queijo proveniente de animais contaminados. 
  • Antonio Sciortino (1879-1947),  considerado o maior escultor maltês. Nos jardins de Valletta e Floriana, pode admirar-se muitos dos seus trabalhos, tais como os monumentos a Sir Adrian Dingli e a Sir Gerald Strickland

 

Festivais e Festividades

  • De 10 a 14 de Novembro de 2003 vai realizar-se, em Valletta, o 15º Festival Internacional de Coros de Malta.
  • De 18 a 20 de Julho de 2003 decorre, em Valletta o festival de Jazz de Malta.
  • Uma Festividade importante em Malta é o Carnaval, datando a sua primeira realização do séc. XVI. Extremamente colorido e animado festeja-se em várias cidades e aldeias ocorrendo os festejos mais espectaculares na capital.