Tabagismo 
Dê o primeiro passo para uma vida sem fumo!

Tabagismo no mundo

O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável em todo o mundo. A OMS estima que um terço da população mundial adulta, isto é, 1 bilhão e 200 milhões de pessoas (entre as quais 200 milhões de mulheres), sejam fumadores. Pesquisas comprovam que aproximadamente 47% de toda a população masculina e 12% da população feminina no mundo fumam. Enquanto nos países em desenvolvimento os fumantes constituem 48% da população masculina e 7% da população feminina, nos países desenvolvidos a participação das mulheres mais do que triplica: 42% dos homens e 24% das mulheres têm o hábito de fumar.

O hábito de fumar (tabagismo) - acto voluntário de inalar o fumo da queima do tabaco - independentemente da qualidade, quantidade ou frequência, constitui a causa mais importante de mortalidade evitável nos países desenvolvidos.

O total de mortes devido ao uso do tabaco atingiu 4,9 milhões de mortes anuais, o que corresponde a mais de 10 mil mortes por dia. 

Na Europa, o fumo do tabaco é responsável por um milhão e 200 mil mortes anuais, prevendo-se que, em 2020, este número ascenda a dois milhões.


http://www.inca.gov.br/tabagismo/frameset.asp?item=dadosnum&link=mundo.htm

Tabagismo/Saúde

O tabaco é um dos maiores inimigos da sua saúde. 

A saúde é um estado de bem estar e não apenas a ausência de doença ou incapacidade.

O estado de saúde é determinado por quatro factores: a biologia humana, o ambiente, o sistema de saúde e o estilo de vida - comportamento de saúde.

O estado de saúde depende em muito de comportamentos saudáveis: não utilizar drogas (lícitas ou ilícitas), alimentar-se correctamente, conduzir com prudência, controlar o stress, praticar exercício físico.

O impacto negativo do tabaco está bem estabelecido, na medida em que afecta directamente a qualidade e a quantidade de vida. A cardiopatia isquémica e o cancro do pulmão são os principais contribuintes para o excesso de mortalidade relacionada com o tabaco. Todavia, existe uma forte relação dose-resposta entre o consumo do tabaco e o excesso da mortalidade, medida pela idade de início do hábito de fumar, o número de cigarros consumidos, o número de anos de tabagismo e a profundidade da inalação.

Os primeiros cigarros fumados têm consequências negativas para a saúde, bastam sete segundos para a nicotina atingir o cérebro,
estimulando os neurónios. As complicações incluem: a ocorrência de vertigens, olhos a chorar, as mãos a tremer, os músculos tensos, enjoo, alteração no gosto e no cheiro, aumento da pressão sanguínea.

Investigações comprovam que fumar, mesmo que seja só um cigarro, pode trazer graves consequências para a “saúde do seu coração”, podendo, inclusivamente, resultar numa diminuição da capacidade respiratória. Fumar, mesmo que seja apenas um cigarro, pode provocar uma mudança na função principal de bombeamento do coração.

Fumar prejudica a ventilação pulmonar, o transporte de O2 no sangue, prejudica o rendimento físico é incompatível com o desporto de alta competição.

As vantagens de não fumar incluem: bem estar, respirar sem problemas e sem tosse, hálito agradável, dentes e dedos sem manchas amarelas, cheirar a limpo.

Fumar é um dos principais comportamentos perniciosos para a saúde.